O alto preço dos planos de telefonia móvel e as vantagens dos planos corporativos

Brasileiro paga planos de celular mais caros que os europeus e americanos, além do grande índice de insatisfação.


Através do estudo comparativo entre o Brasil e outros 10 países, chegamos à conclusão que os preços dos pacotes de telefonia para celulares são maiores para os brasileiros. Considerando os aparelhos smartphones, a média de preço de um plano de operadoras nacionais, como a Claro, Oi, Vivo e Tim, custam, em média, R$ 143,45.

Esse valor é superior em 49% à média do existente nos Estados Unidos e 125% superior à média do que se paga no Japão. Os países que tem preços semelhantes aos brasileiros são a Alemanha, em que o preço é apenas 3% inferior e o Reino Unido, onde o preço médio é 6,5% menor.

No mercado brasileiro as operadoras oferecem os seguintes planos para smartphones:
Operadoras
Planos
Claro
3GMax e 4GMaz
Oi
Oi Smartphone
Tim
Liberty Web
Vivo
Smartphone Ilimitado
Os preços altos praticados no Brasil também não garantem a satisfação dos usuários. Segundo a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) foram 1,13 milhão de usuários a reclamar dos serviços, somente no ano de 2013. As multas por falhas foram tantas que muitas operadoras foram proibidas de comercializar mais serviços.

Comparação de preços dos pacotes para smartphones do Brasil com outros países
  • Suécia – a média de preço de pacotes para smartphones é de US$ 52,52 (operadora Tele2). A média brasileira é 28% maior.
  • Reino Unido – a média de preço é de US$ 62,91 (operadora Vodafone). A média brasileira é 6,5% maior.
  • Portugal – a média de preço em dólares é de US$ 57,20. A média brasileira é 17,74% maior.
  • Japão – o preço médio é de US$ 29,93 (operadora SoftBank Mobile). O preço médio brasileiro, de R$ 143,45 é 125% mais alto.
  • França – o preço médio é de US$ 53,20 (operadora Orange). O preço médio brasileiro é 21% mais alto.
  • Estados Unidos – o preço médio é de US$ 45, ou seja, R$ 95,85 (operadora Virgin Mobile). O preço médio brasileiro é 49,66% maior que os norte-americanos. Os planos mais caros nos Estados Unidos custam o equivalente a R$ 74,55 e os brasileiros custam R$ 477,00.
  • Canadá – o preços médio é de US$ 48,56 (operadora Virgin Mobile). O preço médio brasileiro é 28% superior.
  • Austrália – o preço médio dos pacotes para smartphone é de US$ 42,14 (operadora Virgin Mobile). O preço médio brasileiro é 37% mais alto.
  • Argentina – os planos argentinos para smartphone custam em média R$ 119,60 (operadora Personal) e, portanto, os brasileiros pagam 20% mais.
  • Alemanha – o valor médio para a telefonia de smartphone é de US$ 65,27 (operadora T-Mobile). O valor médio é 3% maior para os pacotes do Brasil.
Quais as vantagens de um plano para celular corporativo?

As operadoras de telefonia celular contam com opções de planos para empresas, para atender a uma demanda de empresas com um grande número de linhas e que desejam redução dos preços e facilidades no gerenciamento das contas.

A comunicação de uma empresa depende da telefonia e o celular possibilita a comunicação onde quer que o funcionário esteja, trazendo mais eficiência e em muitos casos de forma mais barata. É preciso pesquisar as diversas opções oferecidas pelo mercado, de olho nos custos.


Com um plano para celular corporativo a empresa compartilha o tempo entre todas as linhas e paga os minutos excedidos com tarifas reduzidas. Até mesmo tarifa zero nas comunicações entre linhas da empresa podem ser conseguidos em alguns planos. Da mesma maneira que os planos para celular da pessoa física, os planos corporativos oferecem o acesso à internet, SMS e outros recursos.


Uma vantagem dos planos corporativos é a possibilidade dos aparelhos serem cedidos em comodato, sem necessidade do investimento na sua compra.


Outras vantagens são a isenção de taxas de roaming e deslocamento, tarifas reduzidas proporcionalmente à quantidade de minutos contratados, cobrança unificada que facilita o controle e a ferramentas de gestão do plano.


No entanto, é preciso considerar algumas restrições existentes, que devem ser analisadas comparativamente entre as operadoras, para que você escolha o melhor negócio. As ligações para fora da rede da empresa, por exemplo, podem ser bem mais caras. É preciso avaliar a frequência com que a empresa faz ligações para fora da rede.


Além das ligações externas à rede mais caras, os minutos que excedem o pacote também são mais caros e isso vai exigir que a empresa gerencie o uso de minutos extras. Os aparelhos podem ser gratuitos, mas com algum acréscimo nas tarifas ou mesmo cobrança de um “aluguel” dos aparelhos na mensalidade. Em alguns casos fica mais econômico adquirir os aparelhos e conseguir melhores condições nos preços.


Conhecer as necessidades específicas da empresa é o passo essencial para escolher o plano corporativo que melhor atende a essas condições. A partir desse princípio você deve fazer a cotação com diferentes operadoras, para encontrar o plano corporativo adequado.


Artigo de autoria de Marcos Chaves.

Google+

Sobre Flávio Prado

Entusiasta de tecnologia e fundador dos sites www.tech4fan.com.br e www.samsungdiscovery.com e também colaborador do TecheNet.com. Tem grande interesse nas áreas mobile e de computação pessoal.