21 Julho 2024
Google traz o stack do Android para o ChromeOS

Google traz o stack do Android para o ChromeOS

A Google está integrando o ChromeOS com o stack do Android para disponibilizar mais rapidamente as funcionalidades de IA para Chromebooks e outros dispositivos. A empresa também pretende usar isso para melhorar a interoperabilidade dos dispositivos que executam software da Google.

Isso inclui o uso do kernel Linux do Android e dos frameworks do Android como elementos fundamentais do ChromeOS, o que, segundo a Google, oferece muitas oportunidades para o desenvolvimento futuro desse sistema operacional. Aplicativos Android já estão disponíveis no ChromeOS. Além disso, a Google anunciou recentemente que substituirá o stack Bluetooth do ChromeOS pelo do Android na versão 122.

Ao adotar o stack baseado em Android, a Google está prevenindo que o lançamento da funcionalidade de IA no ChromeOS fique atrás dos dispositivos Android. Tornando o ChromeOS ‘mais Android’, a Google espera acelerar os processos de IA, simplificar processos técnicos e melhorar a interoperabilidade entre dispositivos como telefones, acessórios e Chromebooks, disse a empresa em uma postagem no blog.

Transição suave

A Google promete que a adição do Android ao ChromeOS não afetará a segurança, a interface usual ou as capacidades de gerenciamento existentes. Com isso, a empresa espera tranquilizar a clientela de escolas e empresas que aderiram aos Chromebooks.

A Google acrescenta que pode levar algum tempo para que os usuários notem a integração, se é que notarão. O gigante da tecnologia quer implementar a mudança em fases e tornar a transição ‘suave’ para os usuários. Antes desse período, os usuários ainda podem esperar atualizações regulares de software para o ChromeOS.

Funcionalidades de IA para Chromebook Plus

Recentemente, a Google expandiu sua linha mais cara de Chromebook Plus para incluir uma série de novas funcionalidades de IA. A mais proeminente delas é o ‘Ajude-me a Escrever’. Com essa funcionalidade, o texto destacado pode ser melhorado, resumido ou ter uma entonação diferente com a ajuda da IA. Por exemplo, a ferramenta reconhece se pode ser útil adotar um tom mais profissional dentro do contexto de uma discussão por e-mail.

Ao contrário dos produtos Copilot e Copilot+ da Microsoft, que precisam de um NPU para se autodenominarem um ‘PC de IA verdadeiro’, as funcionalidades de IA da Google não exigem especificações adicionais além daquelas que a Google pede para ganhar a designação de Chromebook Plus.